Economia do Mar

ZEE dos Açores

A Zona Económica Exclusiva (ZEE) açoriana representa atualmente 55% da ZEE portuguesa e cerca de 6% da ZEE europeia. Possui uma área de aproximadamente 1.000.000 km2 .

A considerável dimensão desta zona e a riqueza dos seus fundos oferecem um grande potencial de exploração de recursos raros e preciosos.

ZEE Acores

Portos, Transportes e Logística

Utilização do sistema portuário dos Açores como plataforma logística atlântica, aproveitando a localização e as infraestruturas existentes.

Criação de uma rede estruturada e competitiva de serviços logísticos, em interligação com redes internacionais de transporte e distribuição, aproveitando:

  • Portos Comerciais – para abastecimento e distribuição, especializado em navios de grande porte;
  • Portos Regionais – para transporte e movimentação de mercadorias e apoio à náutica de recreio e navios de cruzeiro de menor dimensão;
  • Portos Locais – vocacionados para a pesca e para a náutica de recreio.

Navio

Pescas e Indústria do Pescado

A elevada qualidade e diversidade da safra regional e o posicionamento geográfico do arquipélago, são estímulos à concretização de investimentos nas seguintes áreas:

  • Preparação e transformação de pescado;
  • Armazenamento, acondicionamento e rede de frio;
  • Desenvolvimento de novos mercados e campanhas promocionais;
  • Investimento na modernização da frota pesqueira.

Aquacultura

  • Contacto privilegiado com cientistas da Universidade dos Acores;
  • Disponibilidade de laboratórios equipados e espaços administrativos para novas empresas;
  • Laboratório Regional de Veterinária equipado com tecnologia de ponta;
  • Estudo elaborado com o mapeamento das áreas com elevado potencial para a Aquacultura no arquipélago dos Açores.

Indústria das Conservas de Atum

A indústria de conservas de atum “made in Azores” ocupa uma posição de destaque nas exportações do arquipélago estando os seus produtos presentes em cerca de 30 países. Os principais mercados de destino são Espanha e Itália.

Atualmente existem três indústrias deste setor a operar nos Açores.

Em 2015, e pelo 4º ano consecutivo, o Filete de Atum com Pimenta dos Açores, produzido pela empresa Santa Catarina Indústria Conserveira, ganhou o prémio “Melhor dos Melhores” no Concurso Nacional de Conservas de Pescado.

Já em 2016, arrecadou o prémio “Melhor dos Melhores” com o Filete de Atum em Azeite com Gengibre. Enquanto em 2017, ganhou o mesmo prémio com o Filete de Atum em Molho Cru.

De referir que esta foi a 6ª edição do concurso e que em todas elas o prémio mais cobiçado foi atribuído à empresa açoriana.

Ainda em 2017, e no mesmo concurso, esta empresa alcançou duas medalhas de ouro e quatro medalhas de prata, com diversos outros produtos do seu portefólio. 

A pesca do atum nos Açores foi distinguida pela organização internacional GreenPeace como:

  • Dolphin Safe (segura para golfinhos)
  • Friend of the Sea (amiga do oceano)

atumvara

Construção e Reparação Naval

Pela sua localização, o arquipélago dos Açores é um ponto de confluência para as embarcações que navegam no Atlântico, sendo recorrente deslocações às ilhas para abastecimentos e reparações. 

Pretende-se valorizar: 

  • A reparação e manutenção de grandes embarcações;
  • A construção, reparação e manutenção de embarcações de pesca, embarcações marítimo-turísticas e de náutica de recreio.

Investigação, Inovação e Desenvolvimento

A recente exploração científica dos fundos marinhos demonstrou a existência de recursos metálicos associados aos campos hidrotermais. Das várias missões oceanográficas internacionais resultou a descoberta de cinco campos hidrotermais ativos (Menez Gwen, Lucky Strike, Saldanha, Rainbow e Moytirra) localizados nos mares dos Açores. A exploração de recursos minerais a mais de 1500 metros de profundidade – que até há pouco tempo era apenas um cenário de ficção científica – poderá iniciar-se até à segunda década do século XXI.

A investigação dos fundos marinhos dos Açores e a “blue biotechnology” têm grande interesse para fins científicos e económicos.

De notar que:

  • Foram descobertos recursos genéticos no subsolo marinho Açoriano com potencial interesse para a indústria farmacêutica e cosmética e para a biotecnologia.
  • É uma área com enorme potencial proporcionando oportunidades ao nível da criação de Spin-Offs académicas no setor das pescas.

Consulte a nossa apresentação dirigida ao Setor da Economia do Mar